Minha rendição

“Não cabe a nós encontrar os motivos que levaram uma pessoa ao uso e sim, ajudá-lo a encontrar o caminho da recuperação. Não procurei encontrar diagnósticos e respostas convincentes para minha adicção, mas, sim ajuda. Pois, era isso que eu precisava.”
Eu já estava cansada de procurar respostas nos outros. Ansiar que todos os meus questionamentos da vida fossem desvendados. Estava cansada de procurar esperança e quando a encontrava, não conseguir me agarrar a ela. Então, desistia no meio do caminho, sem esperar o milagre acontecer.
Eu sempre tinha um por que da questão e mil perguntas sem respostas convincentes.
Eu sempre interpretava tudo do meu jeito, da maneira que melhor me conviesse entender e por fim, desistia de procurar algo que me convencesse a não usar e justificava cada vez mais o meu uso de droga, por não compreender o que se passava comigo. Até que um dia, já em completo desespero tive que acreditar na historia de outras pessoas, para reunir forças e começar a acreditar e admitir minhas próprias falências. Para mim, não haveria mais condições de me enganar... EU ERA UMA ADICTA e isso era incontestável.
E, o que menos importava naquele momento era saber como adquiri essa doença da obsessão e compulsão. O que deveria ser feito urgentemente era um pedido de ajuda, antes que fosse tarde demais.
Não foi fácil chegar a este denominador comum: foram as drogas e minha adicção desenfreada, que me levaram a fundo de poço. Então, já sem argumentos e sem forças para mais uma vez retrucar, me rendi a recuperação e admiti que havia perdido totalmente o controle... Que eu não sabia viver.
Ao fazer isto, comecei a desfrutar de uma vida nunca antes imaginada. Troquei desespero por esperança e medo por fé. Revi meus conceitos e valores, fui mudando, dia após dia. Coloquei minha recuperação em primeiro lugar e abandonei antigos hábitos, amigos desfavoráveis a minha recuperação e que não condiziam com a minha nova maneira de viver. Conheci novas pessoas, novos lugares... Aprendi a me amar e a amar meu próximo. Comecei a amar a vida e a apreciar a beleza que ela me oferta todos os dias.
Percebi que meu dia só depende de mim e para onde meu foco estará direcionado.
Te pergunto: Você já abraçou uma arvore? Sabe o quanto de energia ela pode transmitir? Isso é de graça! A natureza não te cobra nada. Assim como a vida, ela só pede que você de um passo em direção a ela, para que possa te suprir de coisas boas. Sempre incondicionalmente, só depende de permitirmos e deixarmos sua força revitalizadora suprir nossas necessidades.

NUNCA É TARDE PARA DAR O PRIMEIRO PASSO RUMO A FELICIDADE!

Não se apegue às pedras do caminho

Sua vida pode ser um grande fardo, graças às pedras que você vem levando junto pelo caminho. E não se engane: as pedras que ger...