Na adicção ativa...


Eu não sabia que a adicção era uma doença. Eu achava que era uma pessoa extremamente odiosa pelas coisas insanas que fazia.
Achava que sofria de uma má formação congênita e de mal caratismo incurável!
Eu sentia muita saudade da minha vida, mas não via realmente esperança de voltar a vivê-la.
Eu sabia que aquele caminho das drogas me levaria para a morte. Pois, cada vez que eu saia de casa, achava que seria a ultima e que não voltaria mais.
Pensava que eu morreria de tiro e que queimariam meu corpo ou qualquer outra coisa hedionda e pasmem... EU NÃO ME IMPORTAVA!
Estava disposta a pagar o preço que fosse para prosseguir com meu uso, mesmo que o preço fosse a minha própria vida.
Hoje, em recuperação descobri que minha vida tem valor e eu tenho muito valor diante da vida.
Não sou mais mera espectadora do destino.
Não sou mais fruto das minhas insanidades.
Sou feliz, sou gente!
Eu mereço tudo de bom que a vida puder me oferecer.
Não estou mais sobrevivendo.
HOJE, vivo e vivo muito bem, obrigada.
Aprendi a ter responsabilidade e carinho com a minha vida!

SÓ POR HOJE!

Minha rendição

“Não cabe a nós encontrar os motivos que levaram uma pessoa ao uso e sim, ajudá-lo a encontrar o caminho da recuperação. Não procurei encontrar diagnósticos e respostas convincentes para minha adicção, mas, sim ajuda. Pois, era isso que eu precisava.”
Eu já estava cansada de procurar respostas nos outros. Ansiar que todos os meus questionamentos da vida fossem desvendados. Estava cansada de procurar esperança e quando a encontrava, não conseguir me agarrar a ela. Então, desistia no meio do caminho, sem esperar o milagre acontecer.
Eu sempre tinha um por que da questão e mil perguntas sem respostas convincentes.
Eu sempre interpretava tudo do meu jeito, da maneira que melhor me conviesse entender e por fim, desistia de procurar algo que me convencesse a não usar e justificava cada vez mais o meu uso de droga, por não compreender o que se passava comigo. Até que um dia, já em completo desespero tive que acreditar na historia de outras pessoas, para reunir forças e começar a acreditar e admitir minhas próprias falências. Para mim, não haveria mais condições de me enganar... EU ERA UMA ADICTA e isso era incontestável.
E, o que menos importava naquele momento era saber como adquiri essa doença da obsessão e compulsão. O que deveria ser feito urgentemente era um pedido de ajuda, antes que fosse tarde demais.
Não foi fácil chegar a este denominador comum: foram as drogas e minha adicção desenfreada, que me levaram a fundo de poço. Então, já sem argumentos e sem forças para mais uma vez retrucar, me rendi a recuperação e admiti que havia perdido totalmente o controle... Que eu não sabia viver.
Ao fazer isto, comecei a desfrutar de uma vida nunca antes imaginada. Troquei desespero por esperança e medo por fé. Revi meus conceitos e valores, fui mudando, dia após dia. Coloquei minha recuperação em primeiro lugar e abandonei antigos hábitos, amigos desfavoráveis a minha recuperação e que não condiziam com a minha nova maneira de viver. Conheci novas pessoas, novos lugares... Aprendi a me amar e a amar meu próximo. Comecei a amar a vida e a apreciar a beleza que ela me oferta todos os dias.
Percebi que meu dia só depende de mim e para onde meu foco estará direcionado.
Te pergunto: Você já abraçou uma arvore? Sabe o quanto de energia ela pode transmitir? Isso é de graça! A natureza não te cobra nada. Assim como a vida, ela só pede que você de um passo em direção a ela, para que possa te suprir de coisas boas. Sempre incondicionalmente, só depende de permitirmos e deixarmos sua força revitalizadora suprir nossas necessidades.

NUNCA É TARDE PARA DAR O PRIMEIRO PASSO RUMO A FELICIDADE!

Força, fé e esperança é o que me mantém viva hoje.




"Não fui eu que inventei a palavra “adicção”. Inclusive, ela soou estranha aos meus ouvidos, a primeira vez que a ouvi. E, ao ouvi-la, pensei: adicto?... Que palavra é esta? Será que é um apelido “bonitinho” que arranjaram para viciados? Fui até o dicionário e lá estava escrito: adicto : ESCRAVO, DEPENDENTE, APEGADO. Me identifiquei na hora e pensei: poxa... Eu era isso mesmo em minha adicção ativa. Escrava dos meus sentimentos e PRISIONEIRA dos meus pensamentos. Obsessiva e compulsiva, em todas as áreas da minha vida.
Em algum momento insano de minha existência, entre o vão da razão e emoção, capotei. Me apeguei a droga de uma forma irresponsável, estúpida e totalmente inconseqüente. Coloquei o uso de drogas acima de tudo e todos. E, principalmente, acima de eu mesma.
Vivi cada momento para usar e usava para sobreviver, na esperança de anestesiar meus sentimentos e esquecer-me quem eu era na verdade.
Cheguei bem depressa até onde um ser humano, que tem o mínimo de dignidade, jamais deveria chegar. Baixei minha cabeça em sinal de submissão ao chamado da miséria e da falência física, mental, moral e espiritual. Cheguei a um nível quase animalesco. Mas, por um milagre, sobrevivi.
Conto-lhes então, minha historia, como ser vivente e em eterno aprendizado.
Não sou um espírito efêmero, psicografando uma passagem de sofrimento, pelo plano terreno. Sou de carne e osso. Sou uma pessoa que sorri e chora ... Que ama e vive intensamente cada minuto e segundo que ainda me restam, tentando ser uma pessoa melhor.
Procuro de alguma forma, enviar palavras de perseverança a pessoas que buscam algo para se agarrar. Na esperança de superarem a  dor causada  pelo uso. Sei que procuram algo que as façam acreditar, embora desacreditadas, que o melhor está por vir, e que, independentemente de qualquer coisa, SEMPRE HAVERÁ ESPERANÇA.
Procuro dividir o que tenho em pequenas partes e doar generosamente o grande presente que ganhei de Deus:
“A chance de recomeçar”.


Enquanto existir vida, haverá perspectivas infindas de dias melhores, ACREDITE!


Força, fé e esperança é o que me mantém viva hoje.

Cada dia a vida te oferece uma página em branco no livro da tua existência.

Teu passado já está escrito e não podes corrigir-lo; em suas páginas amarelas
podes encontrar a tua história, algumas com suaves cores, outras com escuros
motivos...
Lindas recordações...
E... páginas que gostarias de arrancar para sempre...

Neste dia tens a oportunidade de escrever uma página mais.
Está unicamente em tuas mãos escolher as cores que terás, pois
mesmo que apareça algum obstáculo podes matizar de serenidade
para convertê-la numa bela experência.
Como escreverás o dia de hoje?

Só depende de tua vontade que a página do dia de hoje, no livro de tua vida,
seja uma página que no futuro possas possuir como uma bela recordação.
Se soubesses que só vais viver um dia mais, que farias?
Sem dúvida, elevarias teu pensamento para Deus e para todos os que te rodeiam.
Desfrutaria os raios de sol, da suave brisa, da alegria dos teus filhos, do amor do
marido/mulher, de tantas bençãos que a vida põe ao alcance da nossa mão que
muitas vezes não sabemos valorizar.

Desfruta este novo dia, faz um inventário mental de todas as coisas boas que existem
na tua vida e vive cada hora com bom ânimo, dando o melhor de ti, não prejudiques
ninguém, sente-te feliz por estar vivo, de poder presentear um sorriso, de oferecer tua
mão e tua ajuda generosa.
Nunca é tarde para mudar o rumo e começar a escrever páginas de felicidade e paz
no livro da vida.

Agradece a Deus o presente que te dá hoje e a oportunidade de converter este dia numa
página belo do livro de tua existência.
Recorda que, apesar de todas as situações adversas, está unicamente nas tuas mãos viver
o dia de hoje...
...como se fosse o primeiro, o último, ou o único livro da tua vida.
Que todos os teus dias sejam de felicidades e recheados de muita Paz!
Viva!!!

O maior presente que recebemos do nosso poder superior é o nosso próprio presente, o dia de hoje é um milagre!


Nada na vida acontece em vão.
Se um dia acordar, você encontrasse, ao lado da sua
cama, um lindo pacote embrulhado com fitas coloridas,
você o abriria, antes mesmo de lavar o rosto, rasgando o
papel, curioso para ver o que havia dentro...

Talvez houvesse ali algo de que você nem gostasse muito...
Então você guardaria a caixa, pensando no que fazer com
aquele presente aparentemente "inútil"... Mas no dia
seguinte, lá está outra caixa... mais uma vez, você abre
correndo, e dessa vez há alguma coisa da qual você gosta
muito... Uma lembrança de alguém distante, uma roupa
que você viu na vitrine, a chave de um carro novo, um
casaco para os dias de frio ou simplesmente um ramo de
flores de alguém que se lembra de você...

E isso acontece todos os dias, mas nós nem percebemos...
Todos os dias quando acordamos, lá está, à nossa frente,
uma caixa de presentes enviada por Deus, especialmente
para nós: um dia inteirinho para usarmos da melhor forma
possível! Às vezes ele vem cheio de problemas, coisas que
não conseguimos resolver, tristezas, decepções, lágrimas...

Mas outras vezes, ele vem cheio de surpresas boas,
alegrias, vitórias e conquistas... O mais importante é que,
todos os dias, Deus embrulha para nós, enquanto
dormimos, com todo o carinho, nosso presente:
O DIA SEGUINTE!
Ele cerca nosso dia com fitas coloridas, não importa o que
esteja por vir... a esse dia quando acordamos, chamamos
PRESENTE... O PRESENTE de Deus pra nós.

Nem sempre Ele nos manda o que esperamos, o que
queremos... Mas Ele sempre, sempre e sempre, nos manda o
melhor, o de que precisamos, e que é sempre muito mais do
que merecemos...
Abra seu PRESENTE todos os dias, primeiro agradecendo
a quem o mandou, sem se importar com o que vem dentro
do " pacote". Sem dúvida, Ele não se engana na remessa
dos pacotes. Se não veio hoje o PRESENTE que você
esperava, espere... Abra o de amanhã com mais carinho,
pois a qualquer momento, os sonhos e planos de Deus pra
você chegarão, embrulhadinhos pra PRESENTE! DEUS
não atende as nossas vontades, e sim nossas necessidades.

Restituir

Não importa onde você parou... em que momento da vida você cansou... o que importa é que sempre é possível e necessário "recomeçar". Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo... é renovar as esperanças na vida e, o mais importante, acreditar em você de novo. Sofreu muito neste período? Foi aprendizado... Chorou muito? Foi limpeza da alma... Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia... Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechaste a porta até para os anjos... Acreditou que tudo estava perdido? Era o início de tua melhora... Onde você quer chegar? Ir alto? Sonhe alto... queira o melhor do melhor... Se pensamos pequeno... coisas pequenas teremos... Mas se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor... o melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura. (Carlos Drumond de Andrade)

O processo da águia







"O PROCESSO DA ÁGUIA"


"A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie.Chega a viver 70 anos.Mas, para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.
Aos 40 anos ela está com as unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar as presas das quais se alimenta.O bico alongado e pontiagudo se curva.Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!
Então, a águia só tem duas alternativas:
Morrer… ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 50 dias.
Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar.
Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas.Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas.E só após cinco meses vai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.

Em nossa vida, muitas vezes, temos de nos resguardar por algum tempo e começar um processo de renovação.
Para que continuemos a voar um vôo de vitória, devemos nos desprender de lembranças, costumes e outras tradições que nos causaram dor.
Somente livres do peso do passado, poderemos aproveitar o resultado valioso que uma renovação sempre traz. "












Sobre o livro











Matéria exibida no jornal O GLOBO.



Livro de ex-dependente química mostra que volta por cima é possível *

Com apenas oito anos ela começou a tomar medicação para controlar a alteração de humor causada pela hiperatividade. Na adolescência, rendeu-se ao álcool e, aos 25 anos, passou a usar cocaína. Hoje, aos 39 anos e em recuperação, Darléa Zacharias conta no livro "Drogas - O árduo caminho de volta", lançado em fevereiro pela Editora Brasport, a trajetória de adicção que quase lhe custou a vida.

Overdose, internações em hospícios, abandono da família, paralisia facial e desintegração de sua personalidade fizeram parte da realidade da ex-dependente. Uma vez livre das drogas, Darléa resolveu levar para o papel a troca de experiências que já tem na internet. No site de relacionamento Orkut ela fala sobre as dificuldades que encontrou e oferece apoio àqueles que também são afetados pelo vício, sejam eles parentes ou os próprios usuários.

Vale lembrar que duras histórias como a de Darléa, que também viraram livros, já inspiraram filmes de sucesso. “Meu nome não é Johnny” é o relato de João Guilherme Estrella, jovem bem-nascido da Zona Sul carioca que, de usuário, rapidamente passou a um dos maiores traficantes de cocaína do Brasil, nos anos 90. O jovem passou por um manicômio e ficou preso durante dois anos. Hoje, Estrella é produtor musical. também foi transformado em livro e, posteriormente, levado ao cinema.

DROGAS – O ÁRDUO CAMINHO DA VOLTA traz a realidade nua e crua de uma ex-dependente sem o glamour do cinema e sem grandes astros no papel do protagonista.

Darléa é uma mulher comum, com muita coisa para contar. Quando admitiu para si que tinha um problema, venceu obstáculos e encontrou uma nova maneira de viver. A autobiografia da autora é destinada a todo tipo de público, desde que interessado numa emocionante história de vida!


"Cedo ou tarde você descobrirá a diferença entre saber o caminho e percorrer o caminho"



Não se apegue às pedras do caminho

Sua vida pode ser um grande fardo, graças às pedras que você vem levando junto pelo caminho. E não se engane: as pedras que ger...