17 março 2010

Ressentimentos

A Fábula do Porco-espinho.

Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os
espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor.
Por isso decidiram se afastar uns dos outros e começaram de novo a morrer congelados.
Então precisaram fazer uma escolha: ou desapareciam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.
E assim sobreviveram.

Moral da História:
O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro, e admirar suas qualidades.



"É muito melhor alcançar triunfos e glórias, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito, que nem sofrem nem gozam muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta, que não conhece vitória nem derrota."
Abrahan Lincoln


--



--
'Guardar ressentimentos é como tomar veneno e esperar que outra pessoa morra'
William Shakespeare

12 março 2010

Lições de vida

Um grande espiritualista costumava ter em cima de sua cama uma placa escrita: "Isso também passa". Aí perguntaram para ele o porquê disso. E ele disse que era para quando estivesse passando por momentos ruins, poder se lembrar de que eles iriam embora. Que iriam passar. E que ele teria que passar por aquilo por algum motivo. Mas essa placa também era para lembrá-lo que quando estivesse muito feliz, não deixar tudo para trás e se deixar levar, porque esses momentos também iriam passar e momentos difíceis também viriam de novo. E é exatamente disso que a vida é feita: momentos. Momentos os quais temos que passar, sendo bons ou não, para o nosso próprio aprendizado. Por algum motivo nunca esquecendo do mais importante: nada é por acaso. Absolutamente nada. Por isso temos que nos preocupar em fazer a nossa parte, da melhor forma possível. A vida nem sempre segue o nosso querer, mas ela é perfeita naquilo que tem que ser.

10 março 2010

A paz


A paz que trago no peito


A paz que trago hoje em meu peito é diferente da paz que eu sonhei um dia...
Quando se é imaturo, imagina-se que ter paz é poder fazer o que se quer, repousar, ficar em silêncio. e jamais enfrentar uma contradição ou uma decepção.
Todavia, o tempo vai nos mostrando que a paz é resultado do entendimento de algumas lições importantes que a vida nos oferece.
A paz está no dinamismo da vida,no trabalho,na esperança,na confiança,na fé...
Ter paz é ter a consciência tranqüila, é ter certeza de que se fez o melhor ou, pelo menos, tentou...
Ter paz é assumir responsabilidades e cumpri-las, é ter serenidade nos momentos mais difíceis da vida.
Ter paz é ter ouvidos que ouvem, olhos que vêem e boca que diz palavras que constroem.
Ter paz é ter um coração que ama...
Ter paz é admitir a própria imperfeição e reconhecer os medos, as fraquezas, as carências...
Ter paz é não querer que os outros se modifiquem para nos agradar, é respeitar as opiniões contrárias, é esquecer as ofensas.
Ter paz é brincar com as crianças, voar com os passarinhos, ouvir o riacho que desliza sobre as pedras e embala os ramos verdes que em suas águas se espreguiçam...
Ter paz é aprender com os próprios erros, é dizer não quando não que se quer dizer...
Ter paz é ter coragem de chorar ou de sorrir quando se tem vontade...
É ter forças para voltar atrás, pedir perdão, refazer o caminho, agradecer...
A paz que hoje trago em meu peito é a tranqüilidade de aceitar os outros como são, e a disposição para mudar as próprias imperfeições.
É a humildade para reconhecer que não sei tudo e aprender até com os insetos...
É a vontade de dividir o pouco que tenho e não me aprisionar ao que não possuo.
É melhorar o que está ao meu alcance, aceitar o que não pode ser mudado e ter lucidez para distinguir uma coisa da outra.
É admitir que nem sempre tenho razão e, mesmo que tenha, não brigar por ela.
A paz que hoje trago em meu peito é a confiança naquele que criou e governa o mundo...
A certeza da vida futura e a convicção de que receberei, das leis soberanas da vida, o que a elas tiver oferecido.

Marcelo Celente



09 março 2010

A Terapia do Abraço

A Terapia do Abraço

O que faz você, por exemplo quando está com dor de cabeça? Ou quando está chateado?
Será que existe algum remédio para aliviar a maioria dos problemas físicos e emocionais?
Pois é, durante muito tempo estivemos a procura de alguma coisa que nos rejuvenescesse, que prolongasse o nosso bom humor, que nos protegesse contra as doenças, que curasse nossa depressão, que nos aliviasse de nosso estresse, que nos fizesse chegar próximo daquele com quem brigamos.
Sim, alguma coisa que fortalecesse nossos laços e que inclusive nos ajudasse a adormecer tranqüilos.
Encontramos!
O remédio havia sido descoberto e já estava a nossa disposição.
E continua ao alcance de nossas mãos.
O mais impressionante de tudo é que, ainda por cima, não nos custa nada. Aliás, custa sim, custa um pouco de vontade de perdoar.

É o ABRAÇO!

O abraço é milagroso.
É medicina realmente muito forte.
O abraço como sinal de afetividade, de carinho e de perdão pode nos ajudar a viver mais tempo, proteger-nos contra doenças, curar a depressão e fortificar os laços familiares.
O abraço é excelente tônico!
Hoje sabemos que a pessoa deprimida é bem mais suscetível a doenças.
O abraço diminui a depressão e revigora o sistema imunológico da pessoa. O abraço injeta nova vida nos corpos cansados e fatigados, e a pessoa abraçada se sente muito mais jovem e vibrante.
O abraço aumenta significativamente a hemoglobina na pessoa tocada.
Para lembrar, hemoglobina é aquela parte do sangue que transporta o oxigênio para os órgãos mais vitais do nosso corpo, inclusive o cérebro e o coração.
O uso regular do abraço, por isso tudo, prolonga a vida, sara a depressão e estimula a vontade de viver, crescer e progredir.
Sabe quantos abraços você precisa dar por dia?
8... para manter-se vivo.
E o mais bonito, é que este remédio não tem contra indicações e não há maneira de dá-lo sem recebê-lo de volta!

Um abraço a todo! Tenham bons momentos! SPH, funciona e vale a pena!

Vlw André!

05 março 2010

Tente outra vez!






Queremos alcançar os nossos objetivos, mas não queremos sentir dor e nem abrirmos mão de determinadas coisas que julgamos imprescindíveis para nós. Mas, sabemos que tudo nesta vida é uma troca. Uma espécie de lei do retorno. Nada é fácil. Todo crescimento requer esforço e percepção. Podemos ansiar por algo e descobrirmos que não temos aquilo que queremos por que não é o tempo certo, ou não nos esforçamos o suficiente para obtê-lo. 
Muitos caminham pela vida e passam despercebidos por ela. Outros, fazem de tudo para aparecer, mas escondem-se em nuvens de soberba e auto suficiência. Deus, como é difícil o tal equilíbrio. Como é complicado sabermos se estamos no caminho certo e discernir se as nossas decisões estão sendo tomadas direcionadas por princípios espirituais de mente aberta, honestidade e boa vontade, ou por pura vaidade. 
Com que velocidade tenho que avançar? Tenho que ir mais devagar ou bem mais rápido? Não sei... Eu só sei que preciso mudar hoje! Fazer o meu melhor, sem pensar nos resultados futuros, até por que nem sei se ele existirá.
Precisamos rever muitas coisas em nossos comportamentos se quisermos alcançar o que se tem de mais precioso nesta vida: A liberdade de escolha. Precisamos identificar onde estamos errando e se estamos dominados pela ansiedade, medo e até mesmo pelo orgulho. Precisamos tentar fazer tudo diferente. NÃO PRECISAMOS PISAR EM NINGUÉM PARA OBTER O QUE QUEREMOS, O SOL NASCE PARA TODOS.
Nossas conquistas, são resultados de ação criativa e em fé sempre crescente. 
Temos uma característica em comum e ela consiste em extremos e exageros. Ou estamos parados ou indo rápido demais. Impulsivos, devastamos tudo que se posiciona em nossos caminhos. Podemos seguir mais lentos em nossos processos de tomada de decisão, mas nunca parar. 
Podemos reavaliar a nossa direção a ser seguida e ajustar as velas. Os ventos nos indicarão a trilha certa. 
Ao tentarmos controlar os rumos, destruimos a espontaniedade do momento e a nossa capacidade de superar obstáculos.


"PERSEGUIR UM SONHO É IR ALÉM DOS NOSSOS LIMITES, VENCENDO OS NOSSOS MEDOS E EXAMINANDO NOSSOS MOTIVOS, PODEREMOS VOAR MAIS ALTO. PODEREMOS CHEGAR A QUALQUER LUGAR QUE A NOSSA OBSTINAÇÃO PERMITIR."
Texto do livro " O passageiro da agonia."

Darléa Zacharias