Recaída:  Uma consequência!

Sofremos de uma doença traiçoeira, que não irá desistir enquanto não nos abater e matar. Ela trabalha incansavelmente, dias e noites a fio, na intenção de nos controlar e escravizar novamente. É, por isso, que o programa de recuperação é diário e o compromisso de ficar limpo também. Não existe absolutamente nada que justifique uma recaída. E existem mil e uma maneiras de não usar, começando por pedir ajuda. Mas, se recair, volte rápido para a recuperação, antes que a miséria do uso lhe consuma por completo, pois chorar pelos cantos pela recaída, definitivamente não vai adiantar. Chorar não irá lhe levantar, por isso, limpe as suas lágrimas, encarando às suas reservas e eliminando-as.

O processo de uma recaída é silencioso, mas não deixa de ser óbvio, pois ele sempre vem acompanhado por algum tipo de comportamento, que insistimos em cultivar, ou através de sentimentos que deixamos passar batido. Mas, em todos os casos, sem exceção, ela fornece-nos indícios. Quando estamos caminhando para uma recaída, sabemos muito bem que estamos agindo errado, mas não queremos seguir os nossos instintos básicos, que nos dizem que estamos sendo desonestos conosco, porque estamos mergulhados no autoengano. Nestes processos, temos grandes e miraculosas ideias, e decidimos (por conta própria) levá-las até o fim, sem darmos atenção para as consequências. A teimosia e a desobediência agem conjuntamente e nos dizem que nada de mal nos acontecerá se fizermos coisas da forma errada e a insanidade nos induz a pensar que está tudo sob total controle. Mas, já dominados e totalmente complacentes, empurramos com a barriga aqueles defeitos que gritam por mudança dentro de nós. Então, digo-lhes, sem medo que podemos reverter o quadro que está nos desviando do caminho da recuperação e de uma realização espiritual.

Estancar o processo de recaída é possível. Geralmente, a recaída, vem de braços dados a mente fechada, por isso, precisamos de uma visão periférica da condição em que estamos, desenvolvendo novos hábitos, para evitá-la. A recaída nos dá os seus sinais, de várias formas. Às vezes, nos tornamos obcecados, e resolvemos continuar insanos. Mas, o minuto seguinte da insanidade poderá ser fatídico, desastroso, fatal e porque não dizer, mortal!

A única maneira de impedir a recaída é mudando radicalmente os nossos comportamentos. O fato é que podemos mudar qualquer coisa que não estejamos fazendo certo, abrindo mão das nossas vontades egocêntricas para desfrutarmos da liberdade que conseguimos através da recuperação.

A recaída não faz parte da recuperação, mas sim da doença da adicção! Porém, usar drogas é, e sempre será uma questão de escolha pessoal, e absolutamente intransferível!

Darléa Zacharias

Texto extraído do livro: Inimigo Oculto - Foco, Força e Fé

Site: www.darleazacharias.com.br

Não se apegue às pedras do caminho

Sua vida pode ser um grande fardo, graças às pedras que você vem levando junto pelo caminho. E não se engane: as pedras que ger...